Total de visualizações de página

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Reconheço minha pequenez diante da grandiosidade de Deus.


Mas, reconheço também...
Que crescimento é sempre um processo contínuo...
Que a gente está no mundo para crescer, e cresce
com as experiências, sejam elas boas ou dificeis.
"Em verdade, nenhum homem que olhe o céu repleto
de estrelas, que se banhe com os raios da
lua em plena noite, pode prosseguir no mundo a dizer
que não crê em Deus"
*Autor desc.*

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

"Eu sei que vou te amar... Por toda a minha vida eu vou te amar..." *Vinícius de Moraes*


"O amor nos ensina todas as virtudes."
"Às vezes, são nos pequenos atos de amor,
não nos grandes, que nós conhecemos a verdadeira grandeza
interna de uma pessoa."
*Inácio Dantas*

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Céu e Inferno


Conta-se que um dia um samurai, grande e forte, conhecido pela sua índole violenta, foi procurar um sábio monge em busca de respostas para suas dúvidas.
- Monge, disse o samurai com desejo sincero de aprender, ensina-me sobre o céu e o inferno.
O monge, de pequena estatura e muito franzino, olhou para o bravo guerreiro e, simulando desprezo, lhe disse:
- Eu não poderia ensinar-lhe coisa alguma, você está imundo. Seu mau cheiro é insuportável.
- Ademais, a lâmina da sua espada está enferrujada. Você é uma vergonha para a sua classe.
O samurai ficou enfurecido. O sangue lhe subiu ao rosto e ele não conseguiu dizer nenhuma palavra, tamanha era sua raiva.
Empunhou a espada, ergueu-a sobre a cabeça e se preparou para decapitar o monge.
- "Aí começa o inferno", disse-lhe o sábio mansamente.
O samurai ficou imóvel. A sabedoria daquele pequeno homem o impressionara. Afinal, arriscou a própria vida para lhe ensinar sobre o inferno.
O bravo guerreiro abaixou lentamente a espada e agradeceu ao monge pelo valioso ensinamento.
O velho sábio continuou em silêncio.
Passado algum tempo o samurai, já com a intimidade pacificada, pediu humildemente ao monge que lhe perdoasse o gesto infeliz.
Percebendo que seu pedido era sincero, o monge lhe falou:
- "Aí começa o céu".
Para nós, resta a importante lição sobre o céu e o inferno que podemos construir na própria intimidade.
Tanto o céu quanto o inferno, são estados de alma que nós próprios elegemos no nosso dia-a-dia.
A cada instante somos convidados a tomar decisões que definirão o início do céu ou o começo do inferno.
É como se todos fôssemos portadores de uma caixa invisível, onde houvesse ferramentas e materiais de primeiros socorros.
Diante de uma situação inesperada, podemos abri-la e lançar mão de qualquer objeto do seu interior.
Assim, quando alguém nos ofende, podemos erguer o martelo da ira ou usar o bálsamo da tolerância.
Visitados pela calúnia, podemos usar o machado do revide ou a gaze da autoconfiança.
Quando injúria bater em nossa porta, podemos usar o aguilhão da vingança ou o óleo do perdão.
Diante da enfermidade inesperada, podemos lançar mão do ácido dissolvente da revolta ou empunhar o escudo da confiança.
Ante a partida de um ente caro, nos braços da morte inevitável, podemos optar pelo punhal do desespero ou pela chave da resignação.
Enfim, surpreendidos pelas mais diversas e infelizes situações, poderemos sempre optar por abrir abismos de incompreensão ou estender a ponte do diálogo que nos possibilite uma solução feliz.
A decisão depende sempre de nós mesmos.
Somente da nossa vontade dependerá o nosso estado íntimo.
Portanto, criar céus ou infernos portas à dentro da nossa alma, é algo que ninguém poderá fazer por nós.
*Autor desc.*

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Quando você pensava...


Quando você pensava...

Quando você pensava que eu não estava olhando...
Eu prestava atenção em cada palavra, em cada gesto seu.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você com amor, e eu aprendi que,o que torna uma pessoa melhor é saber que alguém se preocupa e confia nela.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi a luz que existe em você...
A mesma luz que muitas vezes iluminou meu caminho... E eu aprendi o quanto uma pessoa pode ser especial e importante em nossa vida.

Quando você pensava que eu não estava olhando, ouvi você fazendo uma oração, e eu aprendi que existe um Deus com quem eu posso sempre falar e em Quem eu posso sempre confiar.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você lutando por um mundo melhor para todos, e eu aprendi que todos nós temos que ajudar e tomar conta uns dos outros.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você me dando forças, acalentando com carinho o meu coração, e eu me senti querido e protegido.


Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi como você cumpria com todas as suas responsabilidades, mesmo quando não estava se sentindo bem, e eu aprendi
admirar você a cada dia mais e mais.

Quando você pensava que eu não estava olhando eu vi lágrimas nos seus olhos, e eu aprendi que, às vezes, acontecem coisas que nos machucam, mas que não tem nenhum problema a gente chorar.

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu vi você sorrindo, e eu fiquei feliz também.

Quando você pensava que eu não estava olhando foi quando eu aprendi as maiores das lições de vida que eu precisava aprender...

Quando você pensava que eu não estava olhando, eu , olhava para você e queria te dizer: “Obrigado por todas as coisas que eu vi e aprendi quando você pensava que eu não estava olhando! Te amo."
*Autor desc.*

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

A beleza e o valor das coisas simples...


O rapaz contemplava o pôr-do-sol perto de um lago quando chegou sua namorada.

- Você está perdendo um tempo precioso – disse. - Está na hora de arranjar um emprego, e vencer na vida.

- O que é vencer na vida?

- É ganhar dinheiro, ter uma posição na sociedade.

- Para quê?

- Para, na velhice, poder ter um lago como este só para nós.

- E, então?

- Então, podemos sentar, e olhar o pôr-do-sol sem preocupação.

- Não estou preocupado, o lago está na minha frente, e estou olhando o entardecer com você - concluiu o rapaz.

Reflexão:Paulo Coelho